Publicações

Existem 50 verdades básicas que Deus deu à Sua Igreja nas últimas três eras (Sardes, Filadélfia e Laodicéia). Verdades adicionais estão sendo reveladas desde a abertura do Sétimo Selo, formando, até o presente momento, um total de 57 verdades. Há muitas outras verdades que Deus revelou, mas estas estão associadas, de uma forma ou de outra com as 57 verdades básicas que são descritas abaixo.

Essas verdades serão divididas de acordo com as três últimas Eras da Igreja de Deus em que elas foram reveladas. Todas as verdades são numeradas de 1 a 57. Também estão numeradas de acordo com a Era da Igreja de Deus em que a verdade em questão foi revelada (entre parêntesis).

As primeiras 49 verdades foram explicadas em uma serie de sermões intitulados “49 Truths”. Sobre a 50a verdade, você encontrará mais informação no sermão intitulado “The 50th Truth” de 28 de junho de 2008. ( Você pode escutar este sermões, em Inglês, no website da Igreja de Deus : www.cog-pkg.org/audio).

A palavra de Deus é verdade e é espiritual. É a verdade que distingue e identifica o povo de Deus (João 17:17). Não é algo revelado pelo intelecto humano. Nós só somos capazes de "ver" a verdade quando Deus abre nossas mentes para ver as coisas espirituais.

Verdades que ainda restavam no final da Era de Sardes

Apenas três verdades básicas restavam á Igreja de Deus no final da Era de Sardes, quando o Sr. Herbert W. Armstrong foi chamado por Deus para ser Seu apóstolo na Era da Igreja que seguiria a Era de Sardes, a Era de Filadélfia.

1 (1)    A observância do Sabbath (sábado)no sétimo dia. O Sabbath(sábado) semanal, observado no sétimo dia da semana, sempre foi um dos sinais (de reconhecimento) mais básicos da verdadeira Igreja de Deus. O povo de Deus sempre obedeceu á observância do Sabbath (sábado) semanal, no sétimo dia.

2 (2)    O nome da Igreja - a "Igreja de Deus". A Igreja de Deus é portadora do nome daquele á quem ela pertence.

3 (3)    O primeiro dízimo para Deus. Deus estabeleceu o sistema do dízimo com a finalidade de sustentar Sua obra na Terra. Este dízimo pertence á Deus e Ele o dá aos líderes de Sua Igreja para ser usado em Seu trabalho, de acordo com Suas instruções á Igreja, através de Seu Filho, Jesus Cristo.



Verdades reveladas durante a Era de Filadélfia

As seguintes 18 verdades foram restauradas por Deus á Sua Igreja, por meio do Sr. Herbert W. Armstrong, durante a Era de Filadélfia. Estas verdades, que são fundamentais para a Igreja de Deus, também serviram para revelar que o Sr. Herbert W. Armstrong cumpriu o papel do Elias que viria, como João Batista. João Batista cumpriu o papel do Elias que viria, preparando o caminho para a primeira vinda de Jesus Cristo, quando Ele veio para cumprir o papel do sacrifício do Pessach (Páscoa), para toda a humanidade. O Sr. Armstrong cumpriu o papel do Elias do fim dos tempos, a quem Deus disse que iria enviar antes do retorno de Jesus Cristo. Deus enviou o Sr. Armstrong á Sua Igreja para restaurar todas as coisas que a Igreja havia perdido no fim da Era de Sardes – as verdades necessárias para a preservação e preparação da Igreja para o regresso de Jesus Cristo.

A restauração dessas verdades que foram dadas através do Sr. Herbert W. Armstrong abriu o caminho para o terceiro “tipo” do “Elias que viria” no fim do tempo, aquele que Deus usaria para preparar o caminho (na Igreja e no mundo) para a segunda vinda do Seu Filho, que virá desta vez para cumprir seu papel como “Rei dos reis” - como o Messias que reinará no seu Reino.

4 (1)    O Governo de Deus. Quando Cristo vier pela segunda vez, Ele vai restaurar o Governo de Deus sobre toda a Terra. Durante a Era de Filadélfia o governo de Deus já tinha sido restaurado dentro da Igreja. Este não é um governo baseado em princípios humanos, onde as decisões são tomadas por votação, pela vontade da maioria (ou própria), mas um governo segundo a orientação de Deus através do poder do Seu espírito. (Efésios 4 e 1 Coríntios 12)

5 (2)    O Evangelho (a mensagem ) do Reino de Deus. O Evangelho do Reino de Deus foi restaurado depois de 1.900 anos. O Evangelho é a boa notícia sobre o governo de Deus, que será restaurado na Terra, com o retorno de Jesus Cristo.

6 (3)    O Propósito de Deus para a humanidade. Deus está reproduzindo a Si mesmo (procriando) e não há nenhuma outra igreja que conheça ou pregue esta verdade. Estamos predestinados á nascer de Deus e tornar-nos Deus - na Família de Deus: Elohim.

7 (4)    Quem e o que é Deus. Deus é uma família na qual podemos nascer. O Espírito de Deus testifica com o nosso espírito que somos filhos gerados de Deus.

8 (5)    O que é o homem? O homem não possui uma alma imortal. O homem é um ser mortal, com uma vida física e temporária. Ao morrer o homem retorna aos elementos da terra e não vai para o céu ou para o inferno. Só Deus pode dar a imortalidade ao homem em Sua Família.

9 (6)    O espírito humano no homem. A diferença entre a mente humana e o cérebro animal é que existe um espírito humano no cérebro humano. Este espirito confere ao homem a capacidade de livre pensamento, a criatividade e a memória. O espírito humano precisa ser unido ao espírito de Deus para que o homem possa ser capaz de conhecer o verdadeiro caminho de Deus.

10 (7)    A Igreja está formada apenas pelos primeiros frutos. A Igreja está formada apenas pelos primeiros frutos, o que é o início do plano de salvação de Deus. Não é o propósito de Deus, nesta fase de Seu plano, salvar o mundo. As primícias (primeiros frutos) são aqueles que foram provados e preparados para chegar a ser parte do governo de Deus, em Seu reino, quando Jesus Cristo retorne como Rei dos reis, no Milênio. Aqueles que serão chamados durante o Milênio, juntamente com os primeiros frutos, serão feitos reis, sacerdotes e professores para o resto da humanidade, que será ressuscitada depois do Milênio.

11 (8)    A Igreja ainda não é o Reino de Deus. A Igreja ainda não é o Reino de Deus, mas é o embrião que se tornará o Reino de Deus. O falso evangelho do cristianismo tradicional ensina que a igreja na Terra é o Reino Deus. Mas o Sr. Armstrong entendeu claramente a mensagem do Evangelho que Cristo trouxe do Pai: O Reino de Deus será literalmente estabelecido na Terra.

12 (9)    Apenas aqueles á quem Deus o Pai chama e atrai para Si podem ser convertidos. Apenas aqueles á quem Deus escolhe e chama, podem ser parte da Igreja de Deus. Satanás tem enganado ao mundo todo e a Igreja é chamada a sair deste mundo (João 6:44).

13 (10)    A ressurreição para o juízo. A ressurreição para o juízo é o julgamento do Grande Trono Branco, mencionado no capítulo 20 do livro de Apocalipse. Este período de juízo durará 100 anos e terá lugar após o período do reinado milenar de Cristo na Terra. Deus não esteve tentando "salvar" o mundo ao longo dos últimos 6.000 anos. E os bilhões de pessoas que não tiveram a oportunidade de salvação no passado, terão está oportunidade nesse tempo futuro de juízo. O tempo para que á essas pessoas seja oferecida a salvação está chegando. Durante esse período de juízo, aqueles que serão ressuscitados para uma segunda vida física devem demonstrar o desejo de viver de uma forma diferente á que eles viveram em sua primeira vida.

14 (11)    O Milênio. O Reino de Deus reinará sobre as nações da Terra por um período de 1.000 anos. Jesus Cristo e os 144.000, que serão ressuscitados para se tornarem reis e sacerdotes, reinarão e trarão prosperidade á toda Terra. Pela primeira vez desde que Adão pecou e Deus impediu ao homem o acesso á árvore da vida, a salvação será acessível para todos.

15 (12)    O espírito Santo, que vem habitar em nós, somente nos gera. O espírito Santo de Deus abre nossas mentes para que possamos entender o livro codificado de Deus, a Bíblia, que de outra forma está fora do alcance do entendimento do homem. Sem o espírito de Deus, não podemos entender a Bíblia. O conhecimento espiritual vem da Bíblia, através da revelação do espírito Santo, que Deus dá em pequena quantidade àqueles a quem Ele chama. Uma vez batizados, o espírito Santo vem habitar e continua habitando naqueles que foram gerados pelo espírito de Deus, para que essa pessoa possa continuar a crescer no conhecimento e na compreensão de Deus.

16 (13)    Nós somos apenas gerados e ainda não nascemos para uma vida nova. Somos herdeiros de Deus, mas ainda não recebemos a herança. O espírito Santo nos gera como filhos de Deus, mas nós ainda não nascemos do espírito de Deus – ainda não fomos feitos seres espirituais. Os membros da Igreja de Deus são apenas gerados pelo espírito de Deus para mais tarde poderem nascer na Família de Deus, através da ressurreição para a vida espiritual.

17 (14)    A identidade das nações de Israel nos dias de hoje. A Igreja conhece a identidade das nações de Israel nos dias de hoje e sabe onde estão as dez tribos perdidas. A Igreja também entende que os judeus são da tribo de Judá e que os Estados Unidos da América são os descendentes da tribo de Manassés. O Sr. Armstrong entendeu de modo evidente, a partir da Bíblia, que os descendentes de Israel deveriam receber as promessas da primogenitura e que as nações de língua inglesa descendem dos dois filhos de José.

18 (15)    As profecias só podem ser compreendidas quando se sabe quem são as nações de Israel nos dias de hoje. A Igreja entende as profecias que se referem às nações modernas de Israel. Estas nações compreendem o Estado de Israel, os Estados Unidos, o Canadá, a Austrália, a Nova Zelândia e parte da Europa Ocidental, incluindo o Reino Unido. A Igreja entende que a Grande Tribulação será o tempo de ‘angústia para Jacó’. Além de anunciar a Boa Nova do Reino de Deus, o Sr. Armstrong também pregou a mensagem de Ezequiel, destinada aos descendentes de Israel, no tempo do fim.

19 (16)    As festas anuais. O plano de Deus, simbolizado nos Dias Sagrados de Deus (Sabbaths anuais), foi revelado somente à Igreja de Deus, através do Sr. Herbert W. Armstrong. O Pessach (Páscoa) e os Sabbaths de Deus (Dias Sagrados) simbolizam o Seu plano de salvação para a humanidade.

20 (17)    A autoridade do calendário sagrado é guardada pelo povo judeu. Através do Sr. Herbert W. Armstrong, a Igreja entende e reconhece que Deus deu aos judeus a autoridade para guardar o calendário semanal e anual.

21 (18)    Os segundo e terceiro dízimos. O segundo dízimo deve ser destinado como meio financeiro para observar os Sabbaths anuais de Deus (Dias Sagrados). O terceiro dízimo deve ser destinado a ajudar aos necessitados e foi instituído na Igreja de Deus no início da Era de Filadélfia. Isto se tornou desnecessário com o passar do tempo, quando os governos de cada pais começaram a estabelecer programas sociais para melhor atender aos necessitados. Este terceiro dízimo foi inicialmente instituído para ser coletado e distribuído nas nações de Israel, semelhante aos programas de assistência social dos governos de hoje (financiados por meio de impostos).



Verdades reveladas á Igreja de Deus durante a Era de Laodicéia

O Sr. Herbert W. Armstrong ensinou que a Igreja de Deus sempre continuaria crescendo em sabedoria e entendimento da verdade de Deus . Nunca pode haver um momento em que o crescimento da Igreja de Deus seja estagnado, caso contrário, não poderia ser a Igreja de Deus . Onde o espírito de Deus habita, sempre haverá crescimento.

No entanto, estamos em um período em que a maioria daqueles que foram dispersados já não podem crescer espiritualmente. Muitos deles estão crescendo nas mentiras e enganos que contradizem á Palavra de Deus e á tudo o que foi restaurado na Igreja de Deus, através do Sr. Armstrong, em vez de crescer na verdade.

Apesar do que aconteceu com a maioria daqueles que foram dispersados, Deus continuou a abençoar um remanescente de Sua Igreja com uma compreensão mais profunda da Sua palavra, especialmente no que diz respeito a este tempo do fim. De fato, a Igreja continua crescendo na compreensão e na verdade. Deus tem revelado estas verdades através do Sr. Ronald Weinland, Seu profeta para o fim dos tempos.

Todos aqueles que serão chamados a fazer parte deste remanescente, aceitarão e concordarão com estas verdades. As 3 verdades que ainda restam da era de Sardes e as 18 que foram restauradas durante a Era de Filadélfia marcam a diferença entre a Igreja de Deus e o mundo. Estas verdades são essenciais para a salvação do homem. As verdades que foram reveladas durante a Era de Laodicéia separam o verdadeiro remanescente da Igreja de Deus do resto, que após a apostasia foi dispersado. Estas verdades identificam a verdadeira Igreja de Deus e Seu verdadeiro povo nesta presente época de grande confusão. A maioria destas verdades representa uma transição do que antes era um entendimento do ponto de vista puramente físico á um profundo entendimento espiritual.

As verdades mencionadas a seguir não estão em nenhuma ordem particular de importância. Algumas se sobrepõem, enquanto outras podem ser amplificadas ou combinadas, quer para alongar ou para encurtar a lista.

22 (1)    Houve uma apostasia sem precedentes na Igreja de Deus, como profetizado em 2 Tessalonicenses 2:1-3. O contexto de 2 Tessalonicenses 2 é para o fim dos tempos, antes do retorno de Jesus Cristo e não para o tempo dos primeiros apóstolos. A palavra "apostasia" significa "negar e abandonar", e nesta apostasia, houve uma negação e um abandono da verdade que Deus tinha dado à Sua Igreja. Isso nunca tinha acontecido entre os líderes da Igreja de Deus. Nunca antes houve tão grande abandono da verdade por parte de tantos integrantes do Corpo de Cristo. Esta apostasia deveria ocorrer antes que os acontecimentos do fim dos tempos, que nos conduzirão ao retorno de Jesus Cristo, tivessem lugar. Muitos na Igreja dispersada ainda não acreditam que esta apostasia já teve lugar, e consequentemente, creem que a Igreja Mundial de Deus deve crescer mais, a fim de que esta profecia seja cumprida.

23 (2)    O homem do pecado foi revelado como sendo o Sr. Joseph Tkach sr., quem deu início á apostasia do fim dos tempos. O Sr. Tkach sr. tentou mudar a lei de Deus e suas ações acarretaram uma grande destruição na Igreja. Alterando a lei de Deus, ele se exaltou acima de Deus. A palavra “assentar” em 2 Tessalonicenses 2:4 significa “ter uma posição de autoridade.” Ao Sr. Tkach sr. foi dada a autoridade para ser líder físico da Igreja de Deus, sob a autoridade de Jesus Cristo. Pouco depois de receber esta autoridade, ele se rebelou contra Deus. O Sr. Joseph Tkach sr. morreu 40 Sabbaths (semanas), e no momento exato, depois de dar o seu sermão apóstata, no dia 17 de dezembro de 1994. Isso foi um sinal para a Igreja de Deus de que Jesus Cristo estava prestes a retornar e que os acontecimentos do fim dos tempos haviam começado a ter lugar.

24 (3)    O ‘Templo’ em Mateus 24, 2 Tessalonicenses 2, e em muitos outros versículos das escrituras, se refere á Igreja de Deus. O homem do pecado, que "sentou-se no templo de Deus", foi o Sr. Joseph Tkach sr., que estava sentado em posição de autoridade na Igreja de Deus. Segundo os ensinamentos do Sr. Armstrong, antes de sua morte, apenas a presença de Deus pode fazer qualquer coisa santa, e um templo físico, construído pelos judeus de hoje, não poderia ser santo, porque eles não são o povo de Deus, espiritualmente.

25 (4)    A ‘Abominação da Desolação’ se refere ao que Joseph Tkach sr. fez na Igreja. Esta ‘abominação da desolação’ na Igreja começou como resultado do sermão que ele pregou em Atlanta no dia 17 de dezembro de 1994, alterando as leis de Deus. Foi uma tentativa de desonrar, macular e destruir o Templo de Deus.

26 (5)    As pedras do Templo se referem ás pessoas na Igreja de Deus no fim dos tempos. Em Mateus 24 Jesus se refere ao fim dos tempos. Cristo disse que as pedras do Templo seriam destruídas antes de Seu retorno. Isso aconteceu logo depois que a apostasia teve lugar, quando a Igreja de Deus - o Templo espiritual de Deus – foi dispersada.

27 (6)    Hoje em dia, todos na Igreja de Deus são Laodiceanos. (No passado, a Igreja de Deus acreditou que no fim dos tempos haveriam duas Eras da Igreja de Deus coexistindo paralelamente: a era de Filadélfia e a Era de Laodicéia. De acordo com essa convicção, durante o período da Grande Tribulação, uma delas, (Filadélfia), iria para um lugar de proteção, enquanto que a outra (Laodicéia) teria que passar por grandes provações. No entanto, uma Era não pode sobrepor a outra e a história tem mostrado que todos aqueles que vivem na Era de Laodicéia são Laodiceanos. Embora alguns possam exibir comportamento inerente a outras Eras, todos estão cheios de orgulho e espiritualmente mornos. E ficarão assim, até admitir sua condição e se converterem da situação em que se encontram, para que Deus possa começar a trabalhar em suas vidas (Apocalipse 3:1-16).

28 (7)    Todos em Laodicéia foram vomitados da boca de Deus, sendo separados de Cristo e dispersados, exatamente como foi profetizado. Isso aconteceu com o objetivo de ajudar a despertar alguns do povo de Deus de seu sono espiritual. Deus não aceita àqueles que são apenas mornos, imersos no orgulho. Deus não tolera estar no meio do pecado, e o orgulho é pecado. Orgulho e torpor espiritual permeava a Igreja de Deus á meados dos anos noventa e toda a Igreja foi, portanto, separada de Deus, como profetizado em Apocalipse 3:16. Até que essa condição seja reconhecida e aceitada e as pessoas se arrependam, Deus não irá trabalhar nas vidas destes Laodiceanos. Mesmo depois de se arrepender, o torpor espiritual é uma condição contra a qual todo Laodiceano sempre deverá lutar.

29 (8)    A Igreja inteira está dormindo um profundo sono espiritual, exatamente como descrito em Mateus 25:1-13. Este foi o resultado direto da atitude Laodiceana, e da mornidão espiritual. No passado, a Igreja acreditava que haviam cinco virgens, prudentes, que iriam para as bodas, enquanto as outras cinco, néscias, seriam rejeitadas pelo noivo. No entanto, a Bíblia diz que todas as virgens adormeceram e não especifica quais foram aceitas pelo noivo. Hoje, muitos na Igreja praticam uma rotina religiosa, como o mundo protestante, falando da verdade, mas sem o zelo genuíno para com ela. Somente aqueles que se arrependam de sua atitude de Laodiceano, serão aceitos por Cristo neste fim dos tempos. Só Deus pode despertar as pessoas deste sono espiritual, que tem dominado a Igreja inteira.

30 (9)    Mateus 24 concerne á Igreja de Deus no fim dos tempos. Esta profecia não diz respeito á acontecimentos físicos do fim dos tempos, apesar de que seja uma simbologia para alguns acontecimentos que terão lugar. Os problemas na Igreja começaram na década de setenta, quando alguns dos ministros começaram a se rebelar contra o Sr. Armstrong e a atitude de espírito de Laodicéia começou lentamente a invadir a Igreja. Enquanto o Sr. Armstrong estava tentando colocar a Igreja ‘de volta nos trilhos’, como ele mesmo disse muitas vezes, ele expressou abertamente suas dúvidas sobre si as pessoas realmente compreendiam o que estava acontecendo. Nos anos setenta e oitenta, até sua morte em 1986, ele advertiu várias vezes á Igreja de que ela estava caindo num profundo sono espiritual. É a isso que se refere Mateus 24:14, quando menciona guerras e rumores de guerras e terremotos (agitação dentro da igreja), “mas que isso ainda não é o fim”. Após a morte do Sr. Armstrong, e depois que o Evangelho (a boa notícia) foi pregado "á todo o mundo”, a Era de Laodicéia começou, e entramos no período chamado ‘fim dos tempos’. Os versículos 15-28 descrevem a dispersão da Igreja, a sua fuga (dos integrantes) para as montanhas (organizações), e uma maior tribulação para a Igreja, incluindo uma guerra espiritual, que trouxe consigo engano e fome. Eventos como estes terão lugar no mundo, mas esses versículos são mais aplicáveis à Igreja. Deus me mostrou que existe uma dualidade nesta profecia e que os versículos 21 e 22 se aplicam tanto á Igreja quanto ao mundo. Todos estes acontecimentos profetizados em Mateus 24 nos conduzem ao momento da vinda do Messias à Terra (versos 29-31).

31 (10)    Os quatro primeiros selos do livro de Apocalipse estão relacionados com a Igreja e seu cumprimento acontece paralelamente ás profecias de Mateus 24. Esses quatro selos não têm relação com eventos físicos do fim dos tempos. O Sr. Herbert W. Armstrong ensinou que esses quatro selos do Apocalipse só podem ser entendidos através da compreensão de Mateus 24. Ele estava certo nisso, mas ele acreditava que os quatro primeiros selos estavam relacionados á acontecimentos físicos na Terra e não á acontecimentos espirituais relevantes para a Igreja, como Deus revelou mais tarde. A maioria dos que ainda estão dispersados não entende que isso não tem nada a ver com acontecimentos físicos, mas com acontecimentos espirituais, dentro da Igreja. Tendo vivenciado esses feitos, ficou evidente para nós que Mateus 24 refere-se à Igreja, bem como Apocalipse 6:1-8. O Primeiro Selo tem a ver com a abominação da desolação. O Segundo Selo diz respeito à guerra espiritual na Igreja. O Terceiro Selo está relacionado com uma fome da Palavra de Deus (Amós 8:11). O Quarto Selo fala sobre a continuação e agravamento destas condições no seio da Igreja dispersada, nas organizações que se separaram da Igreja Mundial de Deus, depois da apostasia.

32 (11)    Ezequiel 5 foi cumprido (espiritualmente) através da dispersão da Igreja de Deus desde a apostasia. Após a abominação da desolação cerca de um terço das pessoas da Igreja permaneceu na Igreja mundial de Deus (aceitando as mesmas crenças e falsas doutrinas que as igrejas do cristianismo tradicional). Um terço desistiu completamente da fé. E o outro terço passou a fazer parte das várias organizações que se formaram mais tarde. Este último terço deveria passar por mais provações, de acordo com o que Deus tinha dito sobre Laodicéia. Deus predisse que apenas um décimo de um terço sobreviveria até o fim - um remanescente do qual está profetizado em muitas outras partes da Bíblia.

33 (12)    Não há um lugar físico de proteção para a Igreja durante a grande tribulação, mas sim um lugar espiritual. As asas referidas em Apocalipse 12:14 simbolizam proteção, assim como bordas (palavra hebraica para "asas", como "proteção") em Ezequiel 5:3. Isto refere-se a um período específico de proteção para os poucos que Deus primeiro começou a chamar para fazer parte de um remanescente. Este período de tempo, que durou três anos e meio, já teve lugar.

34 (13)    De todos os que foram dispersados, Deus está despertando um remanescente para servir de testemunho desse tempo do fim. Esse testemunho é tanto para a Igreja (um testemunho do chamado de Deus à Sua Igreja através do tempo, e especialmente neste tempo do fim), como para o mundo (um testemunho de como o mundo tem respondido a Deus durante os últimos 6.000 anos). Grande parte das pessoas na Igreja que está dispersada, inclusive aquelas pessoas a quem foi oferecida a oportunidade de fazer parte do remanescente da Igreja de Deus, não se arrependeu da sua condição de Laodicéia; e essas pessoas permanecem orgulhosas e mornas. Deus revelou claramente que Ele não aceitaria uma atitude morna para com Seu chamado, e declarou que tais pessoas seriam vomitadas da Igreja (seriam separadas de Deus e do poder do Seu espírito em suas vidas).

No entanto, em meio à destruição causada por esta apostasia do fim dos tempos, Deus prometeu despertar ao dez por cento de um terço da Igreja, para servir de testemunho daquilo que Deus estava fazendo, e para servir de testemunho do que a Igreja dispersada faria, durante a Era de Laodicéia e durante o período de tempo do Seu último testemunho.

Ezequiel 5 ilustra muito bem o que aconteceu com a Igreja de Deus, após a apostasia.

“Um terço de seu povo morrerá de peste ou perecerá de fome dentro de seus muros; um terço cairá à espada fora da cidade; e um terço dispersarei aos ventos e perseguirei com a espada em punho.” (Ezequiel 5:12).

O primeiro terço que morreu de peste e fome se refere àqueles que simplesmente desistiram de tudo e abandonaram completamente a fé. Essas pessoas estavam doentes e famintas espiritualmente, e morreram (caíram em um profundo sono espiritual). O outro terço que caiu à espada são aqueles que se afastaram da verdade, da palavra de Deus, e, assim, foram destruídos espiritualmente pela espada de dois gumes da palavra de Deus, que os julgou e os cortou de qualquer acesso ao Seu espírito. Estes também caíram imediatamente em um completo sono espiritual.

O último terço foi dispersado, e formou com o tempo mais de 600 grupos e organizações diferentes. No entanto, apesar do impacto desses acontecimentos, essas pessoas não se arrependeram após a apostasia, e elas foram perseguidas por essa mesma espada, que as deixou à deriva, em uma obstinada e mais arraigada atitude impenitente de Laodicéia. Estes também caíram em um completo sono espiritual.

Todas as pessoas destes três grupos voltaram para o cativeiro espiritual do Egito, e se tornaram mais uma vez escravos, no cativeiro espiritual. No entanto, em meio a esse cativeiro, Deus prometeu proteção a um remanescente desse cativeiro, que tão rapidamente tomou conta da Igreja. Embora a este pequeno grupo tenha sido prometida proteção, e lhes tenha sido dada a oportunidade de sobreviver ao cativeiro, estas pessoas também passariam por muitas provações e sofrimentos, para ver quem seguiria firme, como parte do remanescente, até a volta de Jesus Cristo.

“Mas apanhe umas poucas mechas de cabelo e esconda-as nas dobras de sua roupa.” (Ezequiel 5:3)

Deus protegeu e interveio na vida de cada uma das pessoas a quem foi oferecida a oportunidade de fazer parte desse remanescente.

O momento em que esta oportunidade de sobreviver ao cativeiro foi oferecida, foi diferente para cada pessoa. As pessoas foram chamadas em momentos diferentes a sair de uma das três formas do cativeiro que tinha vindo sobre a Igreja. A Igreja começou a referir-se a isto como o processo de ser despertado do sono espiritual. Nem todos os que receberam o chamado de Deus para despertar, responderam a este chamado em espirito e em verdade. Isto é muito parecido a quando Deus chama a uma pessoa e lhe oferece a incrível oportunidade de se tornar parte de Sua Igreja. A maioria das pessoas não dá ouvidos a este chamado, e outras o rejeitam com o tempo, mesmo depois de afirmar que o aceitaram.

“E destas ainda (daquelas pessoas a quem se ofereceu a oportunidade de fazer parte deste remanescente) pegue algumas e atire-as ao fogo (provações e dificuldades), para que se queimem (para serem provados). Dali um fogo se espalhará por toda a nação de Israel (o remanescente da Igreja de Deus).” (Ezequiel 5:4)

Deus ofereceu proteção e sobrevivência do cativeiro a um décimo (10%) de um terço de todos os que foram levados cativos. Uma vez postos à prova, nem todos se agarraram firmemente ao que Deus lhes oferecia. Embora naquele tempo a Igreja não entendesse isso, sabíamos que o remanescente da Igreja seria formado pela décima parte de um décimo; ou seja, 10% do 10% de um terço. Então, o que aconteceu com os outros 90% das pessoas a quem foi dada a oportunidade de estar entre os sobreviventes? O que aconteceu com eles foi exatamente o que aconteceu em um dos episódios da vida de Cristo, quando ele curou a dez leprosos (Lucas 17:11-19).

Todos os dez leprosos estavam doentes, fracos e condenados ao ostracismo pela sociedade. Eles eram mantidos no cativeiro da sua condição na vida. Somente um deles, um estrangeiro, (que não era de Judá), um samaritano, teve um espirito de humildade e de gratidão, para voltar em adoração e agradecimento pela cura que Cristo lhe ofereceu. Mesmo em seu estado de oprimidos, os outros nove estavam cheios de orgulho e careciam de qualquer sinal de agradecimento pelo que Deus lhes havia dado. A natureza humana, ainda nas condições mais miseráveis da vida, é muito orgulhosa. Mesmo no meio da Igreja no tempo do fim, esta é uma das mais importantes lições de vida que podem ser aprendidas.

As pessoas que formavam parte da Igreja de Deus na Era de Laodicéia estavam cheias de um espírito de orgulho e ingratidão por tudo o que Deus lhes tinha oferecido. Elas não podiam ver a profundidade das verdadeiras riquezas que Deus lhes havia dado, e em vez disso, se vangloriavam destas riquezas como de algo que elas haviam adquirido por seus próprios esforços.

“Você diz: ‘Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada’. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu. Dou-lhe este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar.” (Apocalipses 3:17-18)

Então, quem era este grande número de pessoas, das quais nove de cada dez rejeitaram o oferecimento de Deus para formar parte do remanescente de Sua Igreja até o fim? Isto é justamente como o que acontece com muitos daqueles a quem Deus chama por primeira vez. As pessoas na Igreja não chegaram a conhecê-los, porque eles rejeitaram rapidamente o que Deus lhes ofereceu. Há também muitas pessoas que entraram em contato com a Igreja de Deus (com o ministério), mas nunca seguiram adiante com a aceitação do oferecimento de Deus. E também há um terceiro grupo de pessoas que aceitaram o chamado de Deus, entraram na comunhão da Igreja, mas em um certo momento se afastaram.

Assim, a Igreja não sabe a quantas pessoas Deus despertou, e quantas rejeitaram Seu oferecimento para escapar do cativeiro. A grande maioria rejeitou rapidamente o que Deus havia posto diante delas, porque o seu orgulho era muito grande para que elas pudessem se humilhar para poder formar parte de algo (do remanescente) que elas, em sua limitada visão, somente podiam ver com um pequeno grupo de pessoas que geralmente é bastante ridicularizado.

Estes são os que não foram humildes para poder aceitar o governo e a orientação de Deus através da nova organização remanescente. E por isso eles rejeitaram esta organização. Sua rejeição os levou ao cativeiro na Assíria espiritual. Eles rejeitaram o que Deus lhes tinha oferecido, já que não aceitaram o governo de Sua nova Igreja remanescente, e preferiram um governo que fosse mais conveniente para eles.

Outros que a Igreja remanescente não conheceu na sua comunhão pessoal, são aqueles que se arrependeram de sua atitude Laodiceana quando Deus pessoalmente lhes revelou sua condição. Eles não foram chamados por Deus para ser parte do remanescente da Igreja, mas eles foram julgados, tomando por base aquilo que lhes foi dado a conhecer. Estes são aqueles que já eram idosos e/ou estavam doentes, dos quais Deus não exigiu mais que o arrependimento antes de morrer, durante os anos que se seguiram à apostasia. A maioria deles eram membros antigos da Igreja de Deus, que já haviam passado por muitas provações e sofrimento antes da apostasia.

Desde a apostasia, também tem havido um grande número de pessoas que entraram na comunhão da Igreja remanescente e em algum momento mais tarde se afastaram de Deus. Eles vieram e se foram. A maioria delas se tornou inimigos do sofrimento e da morte de Jesus Cristo. Para sua própria vergonha e amargura de espírito, estas pessoas rejeitaram seu primeiro chamado (o espírito errôneo de Laodicéia), e depois rejeitaram o chamado de Deus para despertar e formar parte do remanescente de Sua Igreja até a volta de Jesus Cristo.

O engrandecimento desta verdade ficou registrado como um grande testemunho para todos os tempos. Muitas lições serão tiradas desta verdade e serão pregadas nos séculos vindouros.

35 (14)    Entendemos que Jesus Cristo "vem constantemente" na carne daqueles que pertencem à Igreja de Deus. Isto era apenas parcialmente entendido pela Igreja. Algumas escrituras referem-se à "vinda" de Cristo na carne. Grande parte da Igreja entendeu isso de uma forma física, ou seja, que Jesus veio pela primeira vez entre os homens, em carne, como homem. Outras expressões sobre a "vinda" de Jesus Cristo são entendidas como se estivesse falando de um tempo em que Ele voltará a esta Terra. No entanto, a palavra grega original usada nestas expressões não faz referencia a algo que aconteceu num ‘tempo passado’ ou que acontecerá num ‘tempo futuro’. A expressão em português que mais se aproxima é a locução verbal com o verbo vir no gerúndio, o que significa que Jesus Cristo tem vindo continuamente em nossas vidas (nossa carne) - o espírito de Deus habita (vive) em nós.

36 (15)    Ninguém vai para o céu, nem mesmo os 144,000. O único ser humano que jamais subiu ao céu, é Jesus Cristo. (Veja também o tema ressureição, na pagina de Perguntas Frequentes). Satanás enganou a maior parte das pessoas do mundo, fazendo-as acreditar que o homem pode ir para o céu. Muitos na Igreja dispersada creem e ensinam que aqueles que serão ressuscitados dentre os mortos, vão para o céu por um período de tempo, para receberem ‘formação’, antes do retorno de Cristo.

A ressurreição dos 144.000 começa no dia profético (veja a 47a Verdade) que terminará quando Cristo ponha novamente seus pés sobre o Monte das Oliveiras, no Dia de Pentecostes do ano 2019.

O mar de vidro, mencionado em Apocalipse é metafórico e não se encontra no terceiro céu (onde Deus reside), mas refere-se ao encontro com Cristo, na atmosfera terrestre. Como uma analogia, podemos chegar diante do trono de Deus em oração, mas não estamos, literalmente, diante de Seu trono.

37 (16)    O remanescente da Igreja de Deus na Era de Laodicéia, recebeu a maior prova que jamais foi dada, de que Jesus Cristo cumpriu perfeitamente todo o simbolismo contido, integralmente no dia do Pessach (Páscoa), no 14° dia de Abib. Desde os anos setenta existem ministros na Igreja de Deus que ensinam que Cristo cumpriu alguns aspectos do Pessach (Páscoa) no 15° dia de Abib, e não no 14° dia de Abib (o dia em que os israelitas observavam o Pessach ). O Sr. Armstrong ensinou que este ensino sobre o 15° dia era falso, mas ainda assim, muitos na Igreja dispersada continuam aceitando, crendo e ensinando isto, até os dias de hoje. Cristo não somente cumpriu o simbolismo do Pessach (Páscoa), mas também, ao mesmo tempo, cumpriu o simbolismo do sacrifício do Pessach (Páscoa), que os sacerdotes levitas levavam a cabo na tarde do Pessach (Páscoa), antes de começar o 15° dia. Esta parte do 14° dia, que é de grande importância por causa do que Cristo cumpriu, nunca tinha sido totalmente compreendida pela Igreja de Deus. Tudo o que Jesus Cristo cumpriu, ocorreu entre as duas noites, ou seja, durante a noite do 14° dia e durante o dia do 14° dia e não em qualquer momento do 15° dia.

38 (17)    Os 144.000 são aqueles que foram chamados e provados por Deus, ao longo dos últimos 6.000 anos, e que estarão na primeira ressurreição, ao regresso de Jesus Cristo. Na Era de Filadélfia foi ensinado que 144.000 pessoas, que faziam parte da Igreja de Deus na Era de Filadélfia, seriam ressuscitadas, na segunda vinda de Jesus Cristo, juntamente com uma multidão incontável, que viriam da Era de Laodicéia, durante os últimos 3 anos e meio da Grande Tribulação. Isso está errado. Para fazer parte da Família de Deus, alguém deve ser moldado e formado por muitos anos e não apenas 3 anos e meio, ou menos. Aqueles que sobreviverem ao período da Grande Tribulação, serão parte de uma continuação da Igreja durante o período do milênio, que se seguirá. A multidão inumerável mencionada no capitulo 7 do livro de Apocalipse , são os mesmos 144.000, que receberam o selo de Deus e que serão ressuscitados, no retorno de Cristo. Todos estes 144.000 têm sofrido grande tribulação, como parte do processo para poder chegar a ser parte da Família de Deus. Eles são descritos como incontáveis, porque do ponto de vista físico, nenhum ser humano seria capaz de contar uma multidão tão grande - e só Deus sabe o número de pessoas com quem Ele tem trabalhado ao longo dos últimos 6.000 anos, que foram moldadas e preparadas para fazer parte de Sua Família e de Seu Governo. (Apocalipse 14:1, Apocalipse 7:1)

39 (18)    Herbert W. Armstrong era um ‘tipo’ do profetizado Elias que viria, e durante a Era de Filadélfia, ele restaurou toda a verdade que era essencial para a preservação da Igreja de Deus. Hoje são poucos os que ainda ensinam isto na Igreja dispersada. O Sr. Armstrong descreveu a si mesmo como a voz do que clama no deserto, e confirma no livro O Mistério dos Séculos, que ele tinha cumprido as profecias sobre o Elias que viria.

40 (19)    Mateus 24:14 foi cumprido em sua totalidade, unicamente por Herbert W. Armstrong. Muitas das organizações da Igreja dispersada rejeitam esta verdade, porque acreditam que eles devem continuar a pregar o Evangelho a todo o mundo. Eles não reconhecem que o Sr. Herbert W. Armstrong já cumpriu inteiramente essa profecia sobre a Igreja de Deus.

41 (20)    O termo anticristo não se refere ao Papa ou á qualquer outro indivíduo no mundo, mas se refere àqueles na Igreja de Deus, que vão em contra o propósito de Cristo e de Deus em suas vidas. Como o verdadeiro contexto de I João 2 revela, têm havido muitos ‘anticristos’ através das Eras da Igreja. Esta passagem também deixa claro que essas pessoas sempre fizeram parte da verdadeira Igreja de Deus. Mas elas abandonaram a verdade, indo em contra o propósito de Jesus Cristo de habitar naqueles que fazem parte da Igreja de Deus, pelo poder do espírito Santo, com o objetivo de completar a obra de Deus neles. A palavra ‘anticristo’ significa simplesmente ‘contra Cristo’. As pessoas no mundo ainda não foram chamadas á verdade e á elas não tem sido dada a oportunidade de que o espirito de Deus possa habitar nelas. Todos aqueles que impedem esta obra de Deus , este é o anticristo. Não permitir que Deus e Jesus Cristo façam morada em nós, recusando-nos a nos arrepender do pecado, é negar que Cristo morreu por nós como nosso Cordeiro Pascal, para que o Pai e o Filho possam habitar em nós.

42 (21)    Deus o Pai é YAHWEH Elohim e só Ele existe, existiu e sempre existirá eternamente. O ensinamento de que Jesus Cristo sempre existiu é um resquício da doutrina católica/protestante da trindade. Há apenas um Deus Todo-Poderoso, que possui a vida eterna.



Verdades Proféticas reveladas durante a Era de Laodicéia

43 (22)    O remanescente que Deus vai despertar será formado por 10% de um terço das pessoas na Igreja Mundial de Deus, antes da Apostasia. No entanto, como já foi explicado na 34a Verdade, nem todos aceitaram ou receberam o oferecimento de Deus para ser despertados do cativeiro. A profecia de Ezequiel 5 se refere tanto a dispersão das nações físicas de Israel (no Dia do SENHOR ) como da dispersão do Israel espiritual (que já ocorreu). Esta e outras profecias também dizem que a décima parte (dez por cento) de um terço de ambos, tanto do Israel físico como do Israel espiritual, vai sobreviver como um remanescente.

É necessário entender o que aconteceu com a Igreja que se dispersou para poder entender o que vai acontecer com as nações dispersas de Israel, quando elas comecem a experimentar uma grande tribulação e muita destruição. Quando isto aconteceu com a Igreja a nível espiritual, as pessoas não foram arrancadas de onde estavam e transladadas a outro lugar, levadas em cativeiro, mas elas foram destroçadas, dilaceradas e dispersadas como resultado do colapso e do fracasso dos que eram seus líderes. Quando os sistemas de governo e os sistemas económicos destas nações entrem em colapso, os povos serão divididos, despedaçados, e serão completamente desgarrados – dispersados - sem orientação, sem segurança e sem a liderança daqueles em quem depositaram sua confiança.

Existem profecias que afirmam que uma décima parte de um terço de Israel vai sobreviver como um remanescente. Essas profecias são diferentes no que se refere ao seu cumprimento porque se aplicam de una maneira única ao Israel espiritual e de uma outra maneira as nações físicas de Israel que estão dispersadas.

O primeiro lugar onde essas profecias começaram a ser cumpridas foi na Igreja, o Israel espiritual, com o que aconteceu com ela depois da Apostasia. Deus ofereceu ao dez por cento de um terço a oportunidade de formar parte da Igreja remanescente. No entanto, como mencionado na 34a Verdade, eles não aceitaram o oferecimento de Deus para sobreviver e ser totalmente libertados do cativeiro. Devido a livre escolha de cada um e também devido as muitas provações e batalhas que se seguiram, que como Ezequiel disse, todos foram lançados de volta na fogueira, a grande maioria deles decidiu rebelar-se contra a Igreja remanescente ou simplesmente não aceitaram ser parte dela.

Não se deve confundir os que aceitaram a oportunidade para ser parte da Igreja remanescente com aqueles que foram dispersados depois da Apostasia a quem Deus fez uma promessa em Apocalipses. Os 10 por cento de um terço não tem nada a ver com a promessa de Deus de chamar a 63.000 antigos membros da Igreja de Deus Mundial para viver no Milênio, porque eles não serão chamados para estar em comunhão com a Igreja durante um período de tempo significativo e para servir de testemunho junto com o remanescente que Deus despertou antes.

A história e propósito a respeito do que Deus oferece as nações físicas de Israel que estão dispersadas é diferente no que se refere ao 10 por cento e a terça parte, o que foi profetizado sobre eles. O que vai acontecer com o Israel sucederá no final do tempo do fim, e é para então que Deus promete que um remanescente será salvo. Isto significa que muitos poderão ser salvos, fisicamente, para viver durante o Milênio. No entanto, a quantidade de pessoas que poderão ser salvas depende delas mesmas e de sua resposta a Deus. Essa quantidade estará entre um terço de todo o Israel e um mínimo de 10 por da terça parte.

Desde a Apostasia, a Igreja vem experimentando uma grande tribulação espiritual, que termina o 8 de novembro de 2015. Então começa o sétimo e último ciclo de 1.260 dias, desde a Apostasia até o regresso de Cristo, incluindo os últimos 50 dias. E será dentro deste período de tempo que a grande tribulação física chegará para este mundo.

44 (23)    O colapso dos Estados Unidos irá ocorrer durante a 5º Trombeta do Sétimo Selo, e não durante o 5ª Selo, como foi ensinado antes na Igreja Mundial de Deus. Esse entendimento foi dado á Igreja com a revelação de Deus de que os primeiros quatro Selos do Apocalipse concernem á Igreja e não ao mundo.

45 (24)    Não todos os membros batizados, incluindo aqueles que fazem parte do remanescente, farão parte dos 144.000. A fase final do processo de selar aqueles que ainda estão vivos, de acordo com a profecia dos 1.335 dias de Daniel, começou na Festa das Trombetas em 2008 e terminou no Dia de Pentecostes em 2012. Os poucos que ainda estavam vivos, e que então foram escolhidos para receber o selo de Deus, serão ressuscitados (transformados) em ELOHIM quando Cristo voltar.

A grande maioria dos que fazem parte da Igreja de Deus continuará vivendo fisicamente no Milênio. Eles são os que darão continuidade à Igreja de Deus, nesta nova era. Muitas pessoas serão acrescentadas à Igreja durante esse “último” Dia do Senhor. E quando os acontecimentos da Quinta Trombeta do Sétimo Selo comecem a cumprir-se, Deus começará a despertar à muitos que faziam parte da Igreja Mundial de Deus antes e que foram dispersados após a Apostasia.

46 (25)    The Church of God-Preparing the Kingdom of God (em português: Igreja de Deus - Preparando para o Reino de Deus) é a única organização na Terra com o qual Deus está trabalhando nestes últimos dias. Deus sempre operou através de um sistema hierárquico de governo, especialmente neste tempo do fim. Só havia um apóstolo, durante a era de Filadélfia, e este apóstolo dirigiu a única organização física através da qual Deus trabalhou para Sua Igreja. Da mesma forma, só há um apóstolo que está a frente da Igreja de Deus hoje.

47 (26)    Deus revelou a duração real do “dia” profético em que as sete taças da Sétima Trombeta (as Sete Últimas Pragas) serão derramadas sobre a terra. Esse “dia profético” é na realidade o cumprimento dos “50 dias” que finalmente nos levarão a vinda de Cristo no Dia de Pentecostes de 2019. Só Deus pode revelar a duração específica de um “dia profético”. Deus reservou duas possíveis datas para a vinda de Cristo como Rei dos reis. A primeira foi no Dia de Pentecostes de 2012, e Deus revelou que o “dia profético” em que as Sete Últimas Pragas seriam literalmente derramadas teria sido naquele Sia de Pentecostes. E como o objetivo destas pragas é “destruir aqueles que estão destruindo a terra”, Deus revelou que se isso tivesse acontecido em 2012, mais de 3,5 milhões de pessoas podiam haver morto naquele dia.

No entanto, Deus pospôs a data da vinda de Seu Filho por exatamente sete anos, e Ele revelou agora que a duração deste “dia profético”, que nos levará a vinda de Cristo, também mudou. Este “dia profético”, quando as sete pragas serão derramadas, será cumprido durante os últimos 50 dias, o que terminarão quando Cristo regresse no Dia de Pentecostes de 2019.

Deus revelou que ao pospor a vinda de Seu Filho por sete anos, até 2019, Ele está mostrando Sua grande misericórdia para com todos os seres humanos. Deus está trabalhando para oferecer a toda humanidade a oportunidade de começar a ouvi-lo e mudar o curso da sua autodestruição, para que eles possam ser salvos e seguir vivendo. Essa misericórdia também está sendo ampliada pela forma em que Deus está distendendo a duração do “dia profético” das sete últimas pragas, que agora serão derramadas durante 50 dias. E como Deus mudou o período de tempo em que essas pragas serão derramadas de um dia para 50 dias, milhões de pessoas mais poderão ser salvas e poderão seguir vivendo durante o Milênio, sob o reinado de Cristo.

Como já foi dito, só Deus pode revelar a duração específica de qualquer “dia profético”. Há vários exemplos em que um dia profético representa um ano. E também está o exemplo da semana de sete dias, que, de acordo com o que Deus revelou, cada “dia” corresponde a 1.000 anos no Seu plano de 7.000 anos para a humanidade. Ele concedeu todo esse tempo os seres humanos para que se multiplicassem e então passar a próxima grande fase do Seu grande plano de salvação. Neste exemplo em que um dia profético corresponde a 1.000 anos, o sétimo dia, o Sabbath, corresponde ao reinado de 1.000 anos de Jesus Cristo.

Outro exemplo bem conhecido de um “dia profético” é o exemplo que nos é revelado no Último Grande Dia, um dos Dias Sagrados anuais. Neste “dia profético” Deus revela outro período de tempo específico. Um período de tempo que vai durar 100 anos e que vem imediatamente após o Milênio, os 1.000 anos durante os quais Jesus Cristo reinará sobre a Terra.

A duração de um “dia profético” pode variar de acordo com o propósito e o plano de Deus. E só Deus pode revelar o período de tempo que correspondente a esses dias proféticos.

48 (27)    As duas testemunhas do fim dos tempos (dois profetas de Deus) já foram reveladas. Muitos na Igreja dispersada os rejeitaram por não corresponderem às suas expectativas. Muitos rejeitam a ideia de que um deles possa ser uma mulher ou que poderiam ser marido e mulher.

49 (28)    Os Sete Trovões foram revelados e ocorrerão exatamente como previsto. Como afirmado em pregações e também no livro 2008- O Último Testemunho de Deus, todos estes trovões começaram a bradar durante o período do Sexto Selo. Eles continuarão retumbando, com cada vez maior intensidade, durante o período do Sétimo Selo. Estes trovões trazem consigo:

1) Terror de Guerra: o dia 11 de setembro de 2001 é a data em que o Sexto Selo foi aberto (todos os 7 dos edifícios do World Trade Center foram destruídos) e foi o início dos Sete Trovões.

2) Terremotos: acompanhados de erupções vulcânicas e maremotos.

3) Condições climáticas anormais: inundações, desabamentos, incêndios florestais e perda de safras.

4) O Colapso econômico global.

5) Destruição com mais mortes como consequência (divididos em três fases separadas, mas não em ordem específica).

6) A revelação progressiva das testemunhas de Deus para este fim dos tempos, tanto na Igreja dispersada, como no mundo.

7) Uma revelação acelerada de Deus ao homem, tanto na Igreja dispersada, como no mundo.



A 50ª Verdade

Esta verdade se refere à revelação dada por Deus sobre a data escolhida por Ele para os acontecimentos que levarão à vinda de Jesus Cristo. A Igreja de Deus sempre acreditou que Jesus voltaria como Rei dos reis na Festa das Trombetas. Mas isso não é certo! Deus reservou esta revelação para este tempo do fim, para ser revelada antes da data que serve de anúncio para a vinda de Seu Filho que vai reinar sobre toda a Terra.

Deus poderia ter revelado esta verdade em qualquer momento, e sempre foi exclusivamente Sua prerrogativa fazer isso quando Ele escolhesse. Deus tinha dado à Igreja uma maior compreensão sobre o significado da Festa das Trombetas, mas Ele não nos revelou todo o seu significado. Deus agora deu à Igreja a compreensão sobre algumas das razões pelas quais Ele escolheu revelar essa importante verdade antes da Festa das Trombetas de 2008.

1) Isso faz parte de um processo contínuo que faz uma distinção entre a Igreja (a organização física onde o corpo espiritual da Igreja é alimentado e dirigido por aqueles através de quem Deus está trabalhando) e todas as outras organizações que se separaram a Igreja e agora estão dispersas (com as quais Deus já não está mais trabalhando).

2) Isto ficou reservado até agora por causa da contínua batalha espiritual contra Satanás e seus demônios. Satanás e os demônios sabem que seu reinado está chegando ao fim e que em breve eles já não poderão estar entre seres humanos porque serão aprisionados por 1.000 anos. Mas eles não sabiam exatamente quando isso vai acontecer. Deus está prestes a mostrar a maldade de Satanás e dos demônios, a mostrar como eles realmente são.

3) Deus também vai expor a atitude e o espírito pervertidos de todos os que se burlam dele, da Sua Igreja e de Seus servos. Quando essa revelação foi dada à Igreja, os que zombam, que criticam e ridiculizam a Igreja de Deus aproveitaram a ocasião para pôr defeitos na Igreja de Deus, dizendo que mudamos a doutrina e a data que tínhamos dito antes. E eles fizeram isso para satisfazer às suas necessidades hipócritas. Tais críticos se comportam nesciamente e não entendem que estão se colocando na posição de julgar Deus. E o que eles usam para zombar é o que acabará por ser usado para zombar deles. Deus agora está revelando o ódio que há quase 6.000 anos existe nos corações de homens e mulheres contra Ele e contra o Seu povo.

4) E, em relação direta com o ponto anterior, está o fato de que o mesmo que os zombadores usam para tentar desacreditar o profeta de Deus e Suas duas testemunhas do tempo do fim é uma das coisas que Deus usará (de uma maneira muito mais poderosa) para provar através de quem Ele está trabalhando. Na realidade o cumprimento da 50ª verdade será uma grande evidência de quem são os verdadeiros servos de Deus. E os acontecimentos que revelam o cumprimento desta verdade envergonharão a todos esses escarnecedores.

Já faz muito tempo que entendemos que na Festa das Trombetas várias trombetas, no plural, são tocadas, e não apenas uma única trombeta, no singular. Todas essas trombetas anunciam a vinda de Jesus Cristo como Rei dos Reis. E com cada trombeta que é tocada estamos mais perto do cumprimento disto. Deus reservou a Festa das Trombetas de 2008 para anunciar oficialmente ao Seu povo que a tão esperada contagem regressiva para a vinda de Jesus Cristo tinha começado.

A Revelação da Data Escolhida por Deus para os Acontecimentos
Há um grande significado contido na singular data da Festa das Trombetas de 2008. O primeiro acontecimento significativo é descrito em 2 Tessalonicenses 2, onde podemos ler a profecia do tempo do fim sobre um líder da Igreja na Terra, um homem, que atraiçoaria Jesus Cristo. A manifestação deste homem revelaria à Igreja que o tempo do fim havia chegado e que o Primeiro Selo de Apocalipse havia sido aberto. Este homem, que atraiçoaria o governo de Deus, seria conhecido como “o homem do pecado” e “o filho da perdição”.

Como explicado na literatura da Igreja e em alguns sermões, Deus revelou quem era esse homem através da sentença de morte contida nesta revelação. Essa sentença foi revelada através do número 40 (que é usado para indicar o julgamento de Deus) multiplicado pelo número 7, os 7 dias da semana. Passaram exatamente 280 dias, desde o momento em que este homem perpetrou essa traição até o momento em que ele morreu.

No dia 17 de dezembro de 1994 o Sr. Joe Tkach, sênior, deu um sermão anunciando à Igreja que as leis mais fundamentais de Deus tinham sido abolidas. E, exatamente 280 dias depois de que ele perpetrou essa traição a Deus e a Jesus Cristo, á hora exata que ele terminou de cumprir essa traição, ele morreu. E essa foi a maneira que Deus usou para revelar quem era o filho da perdição, o homem do pecado.

Como resultado dessa revelação, Deus revelou que Ele agora está usando esse mesmo período de julgamento para anunciar o fim do reinado do primeiro filho da perdição: Satanás. Os anjos também são chamados de “filhos de Deus” na criação espiritual. Satanás (cujo nome antes era Lúcifer) traiu Deus e levou a um terço dos anjos (que se tornaram demônios) a se rebelar contra Deus junto com ele. Mas Deus tem um plano para acabar com Satanás e sua influência nesta terra. Quando Jesus Cristo voltar Satanás e os demônios serão aprisionados, e durante 1.000 anos eles estarão separados de Deus e dos seres humanos.

A revelação da data dos acontecimentos tem muito a ver com a Festa das Trombetas de 2008. Porque nessa data foi anunciado a fase final na que Deus determinará quem serão os o últimos “eleitos” a receber Seu selo. O processo de colocar o selo de Deus nos 144.000 estará concluído quando comecem os acontecimentos catastróficos que serão desencadeados quando as quatro primeiras trombetas sejam tocadas.

O que Satanás mais odeia de todo o plano de Deus é a Família de Deus – ELOHIM. E os primeiros a entrar para essa família, dentre todas as famílias da terra, são os 144.000, que foram redimidos da terra. Eles virão com Jesus Cristo quando ele voltar a esta terra.

A data da primeira parte da sentença de Satanás (o fim de seu reinado na Terra) é revelada pela mesma contagem regressiva que anuncia Àquele que vai tomar o poder de Satanás e assumirá o governo de toda a terra: Jesus Cristo. E tudo isso começou em um determinado dia: a Festa das Trombetas de 2008. E logo depois disso, o Sétimo e último Selo de Apocalipses foi aberto e a Primeira Trombeta foi tocada. E seis trombetas mais seriam tocadas ainda, o que nos levará aos acontecimentos que concluem o cumprimento de tudo isso. E quando a Sétima Trombeta seja tocada, nesse mesmo dia, Jesus Cristo começará seu regresso como Rei dos Reis.

Deus usa o mesmo período de julgamento que Ele usou para revelar à Sua Igreja quem era filho da perdição (280 dias) para revelar a contagem regressiva para o fim do reinado de Satanás na Terra. O dia do ano que Satanás mais usa para se glorificar através do engano é a falsa festa religiosa do natal. Se contamos do natal de 2007 até o dia da Festa das Trombetas de 2008, temos exatamente 280 dias (40 x 7). Isto anuncia o fim do reinado de Satanás, o primeiro filho da perdição.

A Festa das Trombetas de 2008 foi o dia em que foi anunciada a última fase da eleição dos últimos que receberão o selo de Deus e serão parte dos 144.000 que virão com Jesus Cristo para estabelecer o governo do Reino de Deus na Terra. Então os 144.000 reinarão com Jesus Cristo, e o reinado de Satanás terminará nesta Terra.

Este período de tempo e a última fase até que fique definido quem são os escolhidos para fazer parte dos 144.000, do Reino de Deus, é descrito no livro de Daniel: “Bem-aventurado aquele que espera e alcança os mil e trezentos trinta e cinco dias”.

Quando esses 1.335 dias terminem, os 144.000 serão, de fato, bem-aventurados, porque Deus então fará com que Seu povo, os últimos “que serão escolhidos” para receber o selo de Deus, permaneçam firmes nesse dia, durante o período de tempo depois disso (o último profético Dia do Senhor – os 50 dias antes de que Cristo volte à Terra) durante o qual todos os 144.000 receberão a vida espiritual. Durante 6.000 anos, todos os que foram chamados, que foram escolhidos e receberam o selo de Deus para ser parte dos 144.000 sofreram muito nas mãos de outros seres humanos. Mas neste último “dia”, nos últimos 50 dias, Deus vai intervir nos assuntos dos seres humanos para vingar o Seu povo, que sofreu tanto ao longo do tempo.

O “Dia do Senhor” que vem depois dos 1.335 dias da profecia de Daniel tem um duplo significado, como muitos outros acontecimentos proféticos que têm uma dualidade. O “primeiro” profético Dia do Senhor durou um ano. O “segundo” profético Dia do Senhor vai durar 50 dias, o que corresponde ao cálculo para o Dia de Pentecostes, a partir do dia em que o feixe da primeira colheita era apresentado diante de Deus até o dia da em que os dois pães eram apresentados diante de Deus.

Estes tempos proféticos que são mencionados na profecia como o “Dia do Senhor” também são chamados de “ano” (ou “tempo”) da vingança do nosso Deus.

O enfoque principal do primeiro “Dia do Senhor” é as primícias do plano de Deus e também aqueles que foram rejeitados. O centro de tudo isso é o Dia Sagrado que representa as primícias, já que este primeiro “ano da vingança do nosso Deus” começou no Dia de Pentecostes de 2012 e terminou, foi completamente cumprido, no Dia de Pentecostes de 2013. Este primeiro dia profético está relacionado com a Igreja de Deus. Durante este período começou na Igreja a medição do Templo, como mencionado em Apocalipse 11. Foi então que Deus começou a revelar claramente o início da purificação do Templo naqueles que estavam sendo rejeitados, que não seriam parte dos 144.000. Isto era principalmente para aqueles que ocupavam cargos de liderança na Igreja de Deus. Era aí que a parte mais importante do início da medida do Templo ia começar.

O segundo “Dia do Senhor”, que é um período profético de 50 dias, é o período de tempo que termina no dia em que Jesus Cristo colocará seus pês novamente sobre Monte das Oliveiras, no dia em que ele vai voltar. Esse será o “tempo” da vingança do nosso Deus, quando Ele acabará com o autogoverno dos seres humanos, marcando o começo do Seu Reino que governará nos seguintes 1.100 anos. Este será o “último” profético Dia do Senhor, quando todos os 144.000 que receberam o selo de Deus serão ressuscitados e voltarão com Jesus Cristo para reinar com ele no Reino de Deus.

(Para mais informação sobre este assunto, consulte o artigo 4 Anos e Meio Extraordinários)



Verdades adicionais que foram reveladas

Deus continua a revelar a verdade à sua Igreja nestes últimos tempos, para a restauração de todas as coisas com o retorno de Jesus Cristo.

51 (1)    Deus revelou a identidade do Elias que viria. Como parte desta revelação, Deus deixou claro que tanto João Batista, como o Sr. Herbert W. Armstrong foram um 'tipo' do Elias que viria. Este papel será cumprido definitivamente (como tipo), pelo porta-voz das duas testemunhas do fim dos tempos. Como profeta e apóstolo durante este período do fim, Ronald Weinland cumprirá o papel do terceiro e último 'tipo' de Elias que viria, antes do retorno de Jesus Cristo como Rei dos reis. Ao longo dos últimos 2.000 anos, três pessoas cumpriram cada uma com uma parte (como o 'tipo') do propósito do Elias que viria , mas é Jesus Cristo quem vai cumprir esse papel na sua plenitude.

52 (2)    Deus está restaurando o entendimento quanto ao legítimo lugar da mulher na família. Este é o começo da quebra de uma grande maldição imposta à mulher, desde o início dos tempos, como resultado do pecado.

53 (3)     A ordenação das mulheres na Igreja. Com a revelação da 52º verdade, Deus continua revelando o legÍtimo papel das mulheres e com esta 53º verdade, Deus mostra que Ele trabalhou e trabalha através de mulheres, para preparar o caminho para a segunda vinda de Jesus Cristo e para quebrar todo jugo que escraviza a humanidade.

54 (4)    A existência de Satanás chegará a seu fim. Seu castigo é a morte eterna, não poderá viver nunca mais. Alguns acreditavam que como os seres angelicais são compostos de espírito, não podiam deixar de existir e que portanto, tinham a vida eterna. Os seres espirituais não são eternos. Não têm a vida eterna em si mesmos. O único ser espiritual que foi formalmente julgado por Deus, segundo as Escrituras, é aquele que foi criado originalmente com o nome de Lúcifer, mas que agora leva o nome de Satanás e Diabo.

55 (5)    Os anjos foram criados e são compostos de essência e vida espiritual dadas por Deus (vida feita de espírito), mas eles não são auto-existentes - não possuem vida eterna em si mesmos. Eles são sustentados por Deus e só Deus possui a vida eterna em Si mesmo. Também é importante entender que no momento de sua criação, lhes foi dada a vida sustentada pelo espírito. Mas eles nunca receberam e nunca receberão o espírito Santo de Deus.

56 (6)    Deus criou tanto o bem quanto o mal. Mas para compreender como Deus fez isso, é necessário entender por que Deus deu as criaturas, tanto homens e como anjos, o direito de livre escolha, totalmente independente de Deus, tendo o direito de agir de acordo com sua própria vontade. O caminho de Deus é a única maneira de viver que produz a paz entre as pessoas. Revelando (mostrando, ensinando) este caminho – “o caminho da paz", o mal foi automaticamente criado. Isso ocorreu porque "em" aqueles que foram criados, houve uma escolha para viver de outra forma - uma forma diferente do caminho da paz revelado por Deus. Se um ser criado por Deus escolhe um modo de vida diferente do caminho da paz, que Ele nos mostrou (deu), então o "mal" é criado.

57 (7)    Através do poder do espírito santo, Deus Todo-Poderoso vai "morar" em Sua família por toda a vida eterna, e eles vão permanecer para sempre nele. Isto será realizado através do poder do espírito santo que emana de Deus e ele nunca deixará de “vir” na vida de todos os que são parte da Família de Deus. Este será um processo permanente e contínuo por toda a vida eterna.

Mesmo depois de ser gerada pelo espírito santo de Deus, o espírito santo pode deixar de fluir e ser completamente suprimido (cortado) da vida da pessoa que foi gerada.

Deus habita (permanece, vive) NA vida das pessoas que foram geradas (pelo espírito santo) e essas pessoas permanecem NELE. Através do poder do espírito santo, a vida (a natureza, a verdade, o Verbo de Deus, o caminho de vida) de Deus começa a habitar na vida de uma pessoa que foi gerada (na essência do espírito que foi dado a mente humana), ajudando essa pessoa a mudar sua forma de pensar e viver, do egoísmo e do orgulho ao amor e a preocupação altruísta para com os outros. Esse poder, porém, pode deixar de fluir e as vezes pode ser até mesmo cortado por completo por causa do pecado, porque Deus não habita onde existe pecado. Quando a pessoa recebe a vida espiritual, depois que é ressuscitada da morte (ou da vida física) para a vida espiritual, este processo através do qual Deus permanece em uma pessoa que então “nasceu” (que já não é somente gerada), e essa pessoa permanece nele, nunca cessará nem poderá ser interrompido, mas será perpétuo e contínuo por toda a vida eterna.

Cada membro que nasce na Família de Deus possui a capacidade de raciocinar e de pensar de maneira, mas todos estão perfeitamente unidos em propósito, vontade, e em seu modo de vida através do poder do espírito santo, que sempre irá permanecer neles (que emana continuamente de Deus - que é a fonte). Isto é Deus “vivendo sempre” em cada pessoa que faz da Família de Deus uma realidade de “una” maneira perfeitamente unida.

Índice
Verdades que ainda restavam no final da Era de Sardes
Verdades reveladas durante a Era de Filadélfia
Verdades reveladas á Igreja de Deus durante a Era de Laodicéia
Verdades Proféticas reveladas durante a Era de Laodicéia
A 50ª Verdade
Verdades adicionais que foram reveladas
Top